Tracionando Volkswagen-Amarok-2017-1-1024x683 Volkswagen é multada em R$ 50 mi por Amarok fraudadora Brasil Picapes Volkswagen  picape multa Ibama emissões de poluentes Brasil ambiental Amarok
Volkswagen Amarok 2017

O escândalo do dieselgate do Grupo Volkswagen, que já afetou aproximadamente 11 milhões de automóveis em todo o mundo, também está presente no Brasil. O Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) multou a fabricante alemã em R$ 50 milhões por fraude nos testes de emissão de poluentes realizados em laboratórios com as picapes Amarok 2011 e 2012, o que totaliza 17 mil unidades comercializadas no País.

A intenção do Ibama era multar a Volkswagen em R$ 170.570.000. Considerados os atenuantes e agravantes do caso; caberia ainda um acréscimo de 40%, que elevaria a multa para R$ 238.798.000,00. No entanto, o valor acabou sendo fixado em R$ 50 milhões; devido ao limite estabelecido pela Lei 9.605/1998 para multas ambientais.

Durante os testes realizados em janeiro deste ano pela Cetesb (Companhia Ambiental do Estados de São Paulo) a pedido do Ibama; a picape Volkswagen Amarok emite, em média, 1,101 g/km de óxido de nitrogênio; sendo que o limite permitido na época de lançamento do utilitário era de 1 g/km. No entanto, nos laboratórios, foi registrado 0,84 g/km. “Se não fosse pela ação do dispositivo, as emissões de óxidos de nitrogênio superariam o limite regulamentado e, portanto, os veículos teriam sido reprovados nos testes”; afirmou o Ibama.

Ainda de acordo com a organização, estima-se que 17.057 exemplares da Amarok tenham emitido 100 toneladas de poluentes no meio ambiente acima do permitido pela legislação.

O Ibama determinou ainda, por meio de ofício; que a Volkswagen realize o recall de todos os modelos Amarok que contêm o dispositivo para reduzir as emissões de poluentes durante testes de laboratório.

Tracionando Volkswagen-Amarok-2017-2-1024x683 Volkswagen é multada em R$ 50 mi por Amarok fraudadora Brasil Picapes Volkswagen  picape multa Ibama emissões de poluentes Brasil ambiental Amarok
Volkswagen Amarok 2017

Exemplares mais recentes da Amarok também podem conter o dispositivo

Segundo dados recentes da Cetesb, unidades mais recentes da Volkswagen Amarok também podem ter sido equipadas com o dispositivo fraudador, conforme publicado pelo portal Autoesporte. A companhia testou ainda dois exemplares da Amarok 2014 e 2015; e identificou indícios de que elas também contam com algum tipo de equipamento que frauda os testes de emissão de poluentes.

Nos testes, foram sete unidades da Amarok utilizadas; sendo cinco ano/modelo 2010 a 2012 e as outras duas 2014 e 2015. Os modelos mais antigos emitiram menos poluentes durante os testes em laboratório do que durante a condução nas ruas. Já os exemplares 2014 e 2015 tiveram comportamento “bastante diferente das demais”; segundo o relatório da Cetesb.

As unidades mais recentes da Volkswagen Amarok foram comercializadas na época da fase L6 do Proncove (Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores); enquanto os modelos mais antigos estavam na fase L4. Na L6, o limite das emissões era de 0,35 g/km. Porém, nos testes, uma das picapes chegou a emitir 16 vezes mais óxidos de nitrogênio.

Porém, outros testes deverão ser feitos com outros exemplares para comprovar se realmente há fraude. Caso isso se confirme; é provável que todas as 96,9 mil unidades da Amarok comercializadas no Brasil tenham sido equipadas com esse dispositivo.

Acompanhe o Tracionando também no Facebook, no Twitter e no Instagram!

Volkswagen é multada em R$ 50 mi por Amarok fraudadora